Após domínio de Nadal, na grama todos os olhos se voltam para Federer

Por DANIEL CASTRO

Após o desfile de Rafael Nadal, 31, pela temporada de saibro, chegou a hora de as atenções se voltarem novamente para Roger Federer, 35.

Não só pelo novo corte de cabelo do suíço. Assim como o espanhol esteve nos últimos meses, Federer agora está no seu palco favorito. No caso dele, a grama.

O tenista, que não atua desde o título do Masters 1.000 de Miami, no início de abril, fará sua primeira partida no piso em 2017 no torneio de Stuttgart. O cabeça de chave 1 estreia na manhã desta quarta (14), já nas oitavas de final, contra o amigo e também veterano Tommy Haas, 39.

O caminho mais provável até uma esperada decisão ainda teria o alemão Mischa Zverev, o tcheco Tomas Berdych e o búlgaro Grigor Dimitrov.

Roger Federer durante entrevista em Stuttgart 12.jun.2017- Daniel Maurer/AFP

Para quem disputou quatro torneios no ano até agora (venceu três), os meses de junho e julho serão agitados. Se nenhuma zebra interromper seus planos, o suíço atuará em quatro das próximas cinco semanas. Depois de Stuttgart, ele tem Halle, também na Alemanha, e Wimbledon pela frente.

Não é exagero dizer que Federer estará em casa. Em Halle, ele tem oito títulos e, desde 2012, dá nome a uma rua da cidade. No torneio mais tradicional do tênis, por sua vez, são sete troféus. Caso vença neste ano, deixará Pete Sampras para trás e reinará absoluto como maior campeão de Wimbledon.

Nas próximas semanas, a decisão do suíço de pular os torneios de saibro será colocada à prova. Descansado e na grama, ele causará ainda mais impacto? Ou a falta de ritmo pesará contra o tenista?

Pairam perguntas também sobre o desempenho dos rivais. Rafael Nadal repetirá 2008 e 2010, quando venceu Roland Garros e Wimbledon? O atual campeão e número 1, Andy Murray, seguirá em trajetória de recuperação, como mostrou em Paris? E Novak Djokovic, que caiu para a quarta colocação do ranking pela primeira vez desde 2009, voltará a seus melhores dias?

A temporada de grama é curta e passa rápido, mas promete ser rica em emoções.