Vitória de Bia Haddad em Wimbledon é histórica para ela e para o tênis brasileiro

Por DANIEL CASTRO

Bia Haddad Maia fechou a partida contra a britânica Laura Robson (6/4, 6/2), na primeira rodada de Wimbledon, após cinco match-points. Foi o único momento de drama do jogo, que durou uma hora e cinco minutos.

Na sua primeira vitória em Grand Slam da carreira, a paulista de 21 anos esteve segura durante a maior parte do tempo. Colocou 75% do primeiro saque em quadra e ganhou 79% dos pontos com ele. Na grama, por conta da velocidade do piso, um bom desempenho nesse fundamento é chave para a vitória.

Tornou-se comum, em relatos de jogos, ler que “fulano perdeu chances e acabou derrotado”. No caso de Bia ocorreu o contrário. Número 97 do mundo, ela aproveitou o fato de jogar contra uma rival que passa longe de seus melhores dias após sofrer grave lesão no punho. Ex-top 30, Robson ocupa a 189ª posição do ranking e teve atuação condizente com o momento atual.

A estreia dentro da casa da adversária, que é dois anos mais velha e já fez oitavas de final no torneio em 2013, poderia ter sido traiçoeira. Mas a brasileira viveu dia de veterana, soube se livrar das cascas de banana e foi sólida do início ao fim.

Após tornar-se a primeira atleta do país a vencer em Wimbledon desde a paranaense Gisele Miró, em 1989, ela correu para abraçar sua equipe e se permitiu um sorriso emocionado. Bia, que não costuma adotar tom conformista em entrevistas, estaria insatisfeita caso tivesse desperdiçado essa chance.

O triunfo faz com que ela avance mais uma casa no seu tabuleiro pessoal e no do tênis brasileiro. Na segunda rodada, prevista para quarta (5), a oponente será a romena Simona Halep, número 2 do ranking e que busca sair de Londres na liderança. O desafio é imenso, mas jogar sem nada a perder e embalada nunca fez mal a ninguém. De quebra, há boas chances de a partida ser marcada para a quadra central ou para a quadra 1, grandes palcos do esporte.

X

CASAL FELIZ

O cearense Thiago Monteiro, 23, também aproveitou uma primeira rodada acessível. Número 100 do ranking, o namorado de Bia derrotou o australiano Andrew Whittington (210º) por 3 sets a 1.

Monteiro, que não disputou nenhum torneio na grama antes de Wimbledon, terá pela frente o russo Karen Khachanov, cabeça de chave 30. Outro brasileiro que entrou em quadra no primeiro dia, Rogerinho, 33, caiu diante do francês Benoit Paire por 3 sets a 1.