Patrocinado por Djokovic, garoto de oito anos é nova joia do tênis da Sérvia

Por DANIEL E. DE CASTRO

“Outro dia maravilhoso com meu querido Novak Djokovic”. O texto acompanha foto publicada em rede social por Mihailo Topic, 8, no fim de novembro de 2017.

Estar ao lado do ídolo em uma quadra não era novidade na vida do garoto sérvio. Há mais de um ano, ele é patrocinado pelo ex-número um do mundo, que banca seus  treinos e equipamentos.

A parceria começou após Topic pedir para bater bola com Marian Vajda, técnico de Djokovic durante 11 anos, até maio de 2017. Impressionado com o talento do menino, o treinador o apresentou ao pupilo. Vários encontros depois, a parceria foi oficializada.

Além do apoio financeiro, Topic recebe mimos do tenista. No seu último aniversário, ganhou bolsa para guardar raquetes e uma mensagem: “Para Mihailo, do Novak. Amo seu grande sorriso.”

Nos últimos meses, vídeos do garoto em ação foram compartilhados em redes sociais, chamando a atenção para o talento precoce. Guardadas as devidas proporções, sua devolução de saque foi comparada à de Djokovic.

Topic é tratado como uma joia na Sérvia, mas ainda não se aventurou em competições infantis, algo que só deve ocorrer a partir dos 10 anos. Trata-se de uma estratégia da equipe dele para adiar a pressão por resultados.“Ele é talentoso e tem um potencial enorme. Minha opinião é que ele não precisa de popularidade nessa idade, precisa apenas trabalhar anonimamente” afirma Filip Spasojevic, professor de um clube na Sérvia em que o menino treina com frequência.

Segundo Spasojevic, que chegou a enfrentar Djokovic em torneios de base, Topic gosta da atenção que recebe. Mas ele alerta: “Quando começar a competir no circuito juvenil talvez seja difícil, porque todos vão esperar que vença a todo momento”.

Técnico da Federação Sérvia de Tênis, Dragan Serer disse à revista “Sports Illustrated” que a promessa está dois ou três anos à frente do esperado para alguém da sua idade. “Novak era assim também. É um indicativo de que ele pode ser muito bom no futuro, mas não podemos dizer até que ele fique mais velho e comece a jogar torneios”.

PÓS-DJOKOVIC

Quem vive do tênis na Sérvia se preocupa com o aproveitamento do legado do ex-número 1 e atual 12º do ranking. Aos 30 anos, ele está tendo de lidar com uma lesão no cotovelo que o tirou do torneio-exibição de Abu Dhabi, do Torneio de Doha e ameaça participação no Aberto da Austrália, a partir do dia 15.

Nos últimos anos, o país produziu tenistas de sucesso, como as ex-líderes do ranking Ana Ivanovic e Jelena Jankovic. Entre os homens, Janko Tipsarevic chegou a ser número 8 do mundo em 2012, e Viktor Troicki 12º em 2011.

Nenhum deles, porém, se compara ao fenômeno representado por Djokovic. O atleta é visto como exemplo de superação por ter crescido durante as guerras na antiga Iugoslávia, nos anos 1990, e enfrentado dificuldades financeiras na carreira.

“Ele tornou-se um modelo para o país e encorajou muitas crianças a tentarem sucedê-lo. Os outros resultados são medidos a partir dos feitos dele, e os sérvios não ficam mais satisfeitos com o segundo lugar”, diz Spasojevic.

Antes de saber se Topic repetirá o fenômeno, outros sérvios terão essa oportunidade. Ex-número um juvenil, Miomir Kecmanovic, 18, fará sua primeira temporada exclusivamente como profissional neste ano.